domingo, 5 de junho de 2016

Dia dos namorados. Dez reflexões sobre o Amor: teoria ou realidade...? (3)


          Dia dos namorados. Dez reflexões sobre o Amor: teoria ou realidade...? (3)

 (Você, a vida, o mundo e a pessoa amada...)

1-...É teoria que o amor não para enquanto vivemos, ou é realidade que a vida para enquanto amamos...?

2-...É teoria que tentar fazer o mal não raro dá certo, ou é realidade que tudo que se faz com amor raramente dá errado...?

3-...É teoria que não amar faz mais mal do que menos faz bem, ou é realidade que amar faz bem pra você, o seu bem e os seus bens...?

4-...É teoria que “ter ou não ter dinheiro todo amor é para sempre”, ou é realidade que quando é por dinheiro o amor tem prazo de validade...?

5-...É teoria que só vive a felicidade quem encontra um amor, ou é realidade que quem procura a felicidade no amor já vive feliz só em o procurar...?

6-...É teoria que quem vive a solidão ou tem ou procura um amor, ou é realidade que quem vive solitário não tem um amor e nem procura...?

7-...É teoria que só uma pessoa louca rouba uma flor para dar ao seu amor, ou é realidade que as maiores loucuras de amor são feitas por pessoas sãs...?

8-...É teoria que ódio e amor são como joio e trigo, onde este une e aquele separa, ou é realidade que o odioso vive sempre só por não amar nem ser amado por ninguém?

9-...É teoria que “ainda que falássemos a língua dos homens e dos anjos, nada seríamos sem amor...”, ou é realidade que o amor, e somente o amor, é capaz de fazer alguém ser o que ainda não é...?

10-...É teoria que tem-se, para chegar ao céu do amor, flanar em viagens insólitas no espaço infindo, ou é realidade que para chegar ao céu do amor é mister somente atravessar a estrela-sol...?

Inácio Dantas

Do livro “Amar é... Pequena bíblia do amor” – (Ebook). Adquira no Amazon: https://goo.gl/iPF0aR



quarta-feira, 6 de abril de 2016

Relacionamento de um casal: amor combina com agressividade?


imagem:sentimentocalmo.com
Relacionamento de um casal: amor combina com agressividade?

1.Agressividade: guarde-a para os desafetos, não para quem ama!

Não raro, ante uma palavra mal expressada ou um ato incompreendido, o casal “se estranha” e passa a tratar-se de forma ríspida.  A doçura do amor que havia é trancada no calabouço da intransigência e a agressividade é libertada. Onde, bastaria uma simples reconsideração para amainar os ânimos, ergue-se uma parede quase intransponível. E, afinal, que lucro traz essa postura do casal?
É certo, em verdade, que a agressividade é um manancial de prejuízos. Quando o amor sofre “pancadas” da ira momentânea, além da ruptura do sentimento, o patrimônio do casal entra em declínio. Saber entender, pois, um ao outro, é possível, imprescindível e um multiplicador de afeto e de bons frutos.
Abrir o coração para a amistosidade, conversar em tom sereno e cordial, desculpar e ser desculpado, é uma forma de se chegar a um consenso e assim restabelecer o entendimento e reavivar o amor. Para que isso ocorra há que um ou outro ceder, mesmo a contragosto, afinal quando um abaixa a guarda o outro não ergue a espada!

>> 

2.Amor: Poder que une corações, para sempre!

De todos os sentimentos que envolvem o relacionamento de um casal, há um que norteia o comportamento, estreita a união e alarga os horizontes do entendimento, e escreve o destino com letras de ouro; um sentimento único, puro como o lúmen das estrelas, que perdoa, conforta a dor, ilumina as trevas da desesperança e faz resplandecer a aurora de um novo dia: o amor!
O amor é o mais nobre dos sentimentos, aquele que une duas pessoas para, juntas, viverem a mesma vida até o final dos tempos. Sim, amigos, o amor é a aliança divinal que encadeia dois corações como se fosse uma só unidade!
O amor é isso, docilidade, meiguice, calor humano; é dar-se sem nada pretender em troca; é condescender, ser amigo, cúmplice, amado, amante. É aceitar um ao outro com suas virtudes e defeitos, e, juntos, conjugarem o verbo viver em todos os seus tempos e formas.
O amor é uma música suave que o casal deve cantar a uma única voz. E, a um só movimento, dançar, ventres unidos, a dança mágica que conduz os corpos à explosão do prazer e à perpetuação da vida!

Inácio Dantas
Extraído do livro do Autor “Segredos para uma União Vencedora” – www.vozes.com.br


domingo, 22 de fevereiro de 2015

Algumas reflexões sobre a presença da pessoa amada:


Algumas reflexões sobre a presença da pessoa amada:
Amar é:
­­­● Sentir, de repente, seus lábios dela para si próprio.
● Os dois, ao olharem para o futuro, os olhos se unirem na mesma direção.
● Uma parte sua viver com ela, e a outra parte não viver sem ela...
● Deixar ver o sentimento como água pura e cristalina.
● Realizar para ela o mundo que sonhou para si.
● Oferecer o manto da alegria para enxugar as lágrimas de tristeza.
● Construir um castelo no céu com cimento de nuvens e tijolos de estrelas...
● Exultar-se de contentamento ao imaginar sua imagem na imaginação...

Prof. Inácio Dantas
(extraído do livro “Segredos para uma União Vencedora” – Editora Vozes – www.vozes.com.br)


domingo, 15 de fevereiro de 2015

Preces para uma vida de luz (I)



1.Prece para um bom matrimônio

“Deus-Pai,
Abençoe meu matrimônio, abençoe-me, abençoe meu cônjuge, abençoe nossas famílias, abençoe meu novo lar, lar que construo, não com tijolo sobre tijolo, mas com afeto sobre afeto. E essa afeição é, por simbolismo, materializada por nuvens, luas e estrelas, alvenaria santífica que edifica nossa paixão.
Senhor, marido e mulher unidos pelo amor, com o selo sagrado do matrimônio, estão unidos por Sua divina graça, como unidos foram Adão e Eva no Paraíso pelos laços da eternidade, união em vida que só a morte deslaça.
Deus-Pai, testemunha dos céus da nossa união, peço-Lhe abençoe meu matrimônio!
O amor é a aliança sentimental de um casal, ouro puríssimo de inquantificáveis quilates, metal precioso garimpado nas bateias do carinho e do bem-querer, nos regatos auríferos do coração. Sim, o amor une, pois vem do Senhor, meu Deus, e é como de um pai a mil filhos para uni-los em um só corpo.
Peço-Lhe, Senhor, guarneça-nos com seus cuidados, sua proteção, para que nada e ninguém interfira no nosso romance e interrompa a trajetória de nossos planos e projetos de vida. Afaste os olhares estranhos e vozes que semeiem o pomo da discórdia. Aproxima os que, coração desarmado, vierem ajudar-nos a consagrar vitórias em nossas santas lutas.
Deus-Pai, rogo-Lhe, abençoe meu matrimônio!
Ouça-me, Senhor, nesta prece que fazemos a uma só voz, quatro mãos entrelaçadas, duas almas materializadas em uma e dois olhares retos para a mesma direção, o futuro: abençoe-nos, cubra de glórias nossas vidas, fortaleça nossa união, revista de brilho nossa felicidade!
Agradeço-Lhe, Deus-Pai, e meu agradecimento perpetuar-se-á infinitamente, estendendo-se aos meus filhos e filhos dos meus filhos, posto que o casal que o Senhor uniu homem nenhum separa!
Amém.”
“O casamento deve ser honrado por todos; o leito conjugal, conservado puro; pois Deus julgará os imorais e os adúlteros.” (Hebreus 13:4)


2.Prece para um bom parto

“Deus,
que das alturas distantes e insondáveis do céu vê, ouve e dirige os destinos da casa dos seus filhos, obra esplêndida edificada com Sua onipotência e oniciência, ouça a minha prece.
Abençoe o meu parto!
Quando um grão de semente gemina nas entranhas do chão, brotando uma nova planta perfeita, eis que cumpriu-se sua missão. Igualmente é o fenômeno da vida humana, que da união de duas sementes no ventre materno germina um novo ser perfeito. Assim se faz Suas divinas ordens, ó Senhor, a sublime perpetuidade da criação e da criatura.
Abençoe o meu parto!
Um novo ser está prestes a inspirar o ar da vida. Deus, dê-me um bom parto! Sereno, calmo, tranquilo, onde as dores sejam abrandadas pela música do pranto do meu filho amado. Que a sua vinda, ansiosamente esperada, alegre meu espírito, regozije meu coração, seja paz e felicidade nesse doce e inenarrável sentimento que é ser mãe!
Abençoe o meu parto!
Ampare e proteja meu filho, sangue do meu sangue, corpo do meu corpo, que à luz deste mundo concebo, e que com a Sua intervenção divina eu o amamente, saudável, entre os meus braços, no aconchego dos meus seios.
Mande-me, Deus meu, um anjo celestial para guardar-me, velar-me e amparar-me nesse momento sublime em que ao mundo dou uma nova vida. Vida gerada em meu ventre, como, um dia, no ventre de Maria foi gerado Cristo, Jesus.
Agradeço Deus meu, seu pronto atendimento e grã benignidade.
Amém.”
“E, enquanto padecia muito, tentando dar à luz, a parteira lhe disse: "Não tenha medo, pois você ainda terá outro menino".”  (Gênesis 35:17)



“Pai celestial,
a felicidade de um coração paterno é ver nos filhos o sorriso nos lábios, o brilho nos olhos, o contentamento, a prosperidade conquistada pelo esforço, labuta, meritocracia. As grandes glórias terrenas são fruto de vitórias abençoadas, pois estas não são fugazes, mas se eternizam no tempo e na memória.
Pai, nesta prece peço-Lhe abençoar os meus filhos. Dê-Lhes a dádiva, não de trabalhos mais leves, mas de forças maiores, e não de tarefas mais fáceis, mas de inteligência maior. Abençoe-os com a paciência, a boa compreensão para serem bem compreendidos, respeito, para serem respeitados, proteção aos que lhes são caros para por eles serem também protegidos.
Dê glórias e bênçãos aos meus filhos!
Ah!, Senhor, um filho, um filho... Embora mortal na vida, sinto-me imortal no tempo. Sinto meu corpo descer à terra, minh´alma subir aos céus quando enevoa-me a divindade da Sua presença. Que bom, Senhor, sinto-O comigo, e, por ventura, há outro sentir tão bom?
As glórias humanas, Pai, não são exatamente as conquistas de bens, contas bancárias, títulos, diplomas... São, sim, como foram conquistadas e como serão usufruídas. E então, Pai amado, peço-Lhe que as abençoe e que o usufruto seja em bom convívio com amigos, familiares, conduzido pelos ditames dos mandamentos do livro sagrado.
Todo pai cioso vê-se bem realizado ao ver as boas realizações do filho. Em verdade, um pai deve ser a sombra do filho, pois onde há uma sombra acima há uma luz. E, Deus, que orgulho tem um pai cujo filho se orgulha dele!
Obrigado, Senhor, por atender minha prece. Permita-me, neste momento solene, molhar a caneta da fé no tinteiro da alma e escrever, agradecido, Seu nome em meu coração.
Amém.”

“O homem bom deixa herança para os filhos de seus filhos, mas a riqueza do pecador é armazenada para os justos.” (Provérbios 13:22)



“Senhor,
dê chão plano e firme aos passos dos meus pais, desencurve os caminhos, alargue as saídas e livre-os dos riscos de acidentes e fatalidades. Livre-os também das mentes com visões torpes, das mãos sanguinosas, manipuladoras do mal.
Ah! ser filho do meu pai terreno e filho do meu Pai celestial, pais a quem dedico um amor incondicional, sinto refletirem-se duas maravilhosidades num corpo só!
Senhor, cubra os meus pais com os cuidados da Sua suprema vigilância. Proteja-os como todo pai diligente protege os filhos amados. Cuide deles, zele pelo seu bem estar, vele-os com desvelo. Não os permita desviarem-se qual um velejador solitário em embarcação à deriva, ao sabor das tormentas do mar, um mar de intempéries de ondas humanas, na solidão da própria sorte.
Oriente-os nos negócios, retire os obstáculos das dificuldades, erga pontes de entendimento que destravem as cláusulas do 'não'. Clareie, sempre, a treva das indecisões para, longe de uma má demanda, perto de um bom acordo, inclinarem-se para o bom, verdadeiro e correto.
Senhor, olhe, guarde e proteja meus pais!
Dê-Lhes saúde - corpo, mente, espírito. Abrande as agruras do tempo, não o deixe ser severo fragilizando-lhes ossos, carnes, músculos e esmaecendo-lhes brevemente o tecido corporal da juventude.
Assim como Cristo, Filho unigênito, teve do Senhor, peço-Lhe miríades de bênçãos sobre mim e meus pais, filho agradecido que ama e reverencia o Pai celestial e terreno: bem sei, Ó Deus amado, que Pai e Filho são uma só entidade espiritual.
Permita, por fim, que a essência pura do amor mantenha-se vibrante em seus corações, pois assim, junto aos amigos e familiares, possamos viver a longevidade do tempo, gozando plurais alegrias entre os filhos, netos e bisnetos.
Amém!”.
“Os filhos dos filhos são uma coroa para os idosos, e os pais são o orgulho dos seus filhos.” (Provérbios 17:6)


5.Dez evocações: Interrogações a meditar sobre as obras de Deus.

1.Quem, neste mundo, tem a fita métrica para medir o tamanho do infinito?
2.Quão pesada fica a consciência com a leveza do perdão?
3.Pode, alguém, construir um relógio para medir o tempo da eternidade?
4.Quem possui a fórmula-secreta para revelar os mistérios do “impossível”?
5.Com quem fica a chave que abre as trancas do portal da liberdade?
6.Como é o retrato do sorriso da alma quando o corpo está feliz?
7.Qual é o valor da caridade se por moeda recebe-se amor?
8.Quão difícil é calçar as chinelas da retidão e seguir certo pelos tortuosos caminhos do pecado?
9.Quem é esse que acende velas para a mentira e esquece-se que a verdade precisa de luz?
10.Quem, nascido entre tolos, não pode ter a dádiva da inteligência dos gênios?

“Considere o que Deus fez: Quem pode endireitar o que ele fez torto?” (Eclesiastes 7:13)

Prof. Inácio Dantas
Do livro ebook “Preces e Louvores a Deus”

www.amazon.com.br

domingo, 8 de fevereiro de 2015

Sensatez entre Pais e Filhos


            Sensatez entre Pais e Filhos           


Sem sensatez briga-se consigo mesmo, o desatino esbate-se contra as ideias, em ódio converte-se o amor. Sem sensatez as distâncias ficam distantes, os planos ´implanejáveis´, as soluções insolucionáveis...

O que seria do mundo se governantes e cidadãos fizessem tratativas sem o revestimento polido da sensatez? O que fariam as crianças se, na força do grito ou dos muques quisessem a posse de algo que a outro pertence? A insensatez, reinando como coroa única das decisões humanas, criaria um estado belicoso, onde, abaixo dos céus, sob o trinar dos gládios seria um “salve-se quem puder”...
Há que se dizer um sonoro não à insensatez. Seja qual for a idade de alguém. Se nas cláusulas de todo contrato há sempre ressalvas e adendos para torná-lo justo e cordato, por que não pode haver nos litígios? Uma coisa é inegável, o pior de uma decisão é quando, nervos à flor da pele, pomos a emoção à frente da razão e, insensatamente, não só decidimos asperamente como decidimos errado.
Ser sensato é ser prudente, cordato, ajuizado. Por assim ser, suas decisões, pai, sob os olhares do seu filho, devem ser comedidas, revestidas de sensatez. Cada palavra ou atitude significativa sua, ele fotocopiará na memória; por isso tenha sensibilidade para emanar sábias decisões.

Mesmo que você tenha cometido erros, e todos nós cometemos, se esforce doravante, procure com sensatez decidir nas indecisões. Seu filho quer tê-lo como professor para aprender a vencer na vida pela prudência, concordância e ajuizamento. 

Prof. Inácio Dantas
do livro Ebook "Ensinamentos de Pai para Filho" - www.amazon.com.br

domingo, 25 de janeiro de 2015

Pai, 2015 está ai... hora de atenção aos estudos do seu filho.




1.Acompanhamento escolar

Hoje os bancos da escola, amanhã as estradas do mundo... Nas páginas dos livros estão escritas o futuro: criança sem ensino, adulto sem destino!
Acompanhe, dia a dia, a evolução dos estudos do seu filho. Não se furte de fiscalizar seus cadernos e livros, tarefas, trabalhos, lições e ver as notas no boletim escolar. Acompanhando-o desde o início do ano letivo, ao final não precisará cobrar resultados, porque ciente dos seus pontos fracos já o terá orientado para corrigi-los.
Acompanhe, ainda, suas apresentações na escola. Reserve algumas horas do ano para esse fim e prestigie-o com a sua presença. Reprograme no seu trabalho seus compromissos profissionais e não falte, porque não há nada pior do que ele sentir sua falta.
Você, pai, quando à mãe for impossível, deve comparecer nos eventos festivos ou nas reuniões de pais e mestres. Inteirar-se do comportamento do seu filho, seja com os colegas, funcionários e professores, é tarefa importante para aperfeiçoar seu relacionamento social, e que, portanto, deve estar na pauta dos seus compromissos mais importantes. Então, programe-se, agende as datas e participe!


Incentive seu filho a ler bons livros. Ler bons livros nos ensina lições que sempre gostaríamos de aprender e nos leva a lugares onde sempre gostaríamos de ir!
Os livros ensinam, os pais educam, a vida diploma. A escola é o mundo, sem bandeiras nem fronteiras, com salas de aula a céu aberto. A educação pulula nos lábios paternos, nas ações, nas diretrizes – sempre as melhores, ensinamentos com didática, experiência e amor.
As lições de um pai vêm da literatura dos ancestrais, acumulada por séculos, e, mais que enciclopédias, são lições de existência e substituem os melhores doutorados do mundo.
A lâmpada de um filho são os olhos do pai; os rastros do filho os passos paterno. Na ausência do pai há a escuridão do amanhã e veredas incertas guiadas por mãos estranhas. Um bom futuro o filho constrói com os alicerces do pai.
A voz paterna pune com rigor, e acalma qual suave melodia. Antes uma bronca que orienta que um elogio falso, antes a ´presença´ que educa que a  omissão que ´vicia´, antes o grito para indicar o perigo que o acidente pelo silêncio.
Os braços de um pai devem estar abertos para libertar o filho para o mundo, e para recebê-lo e aconchegá-lo quando retornar.
Pai, eduque seu filho melhor que seu pai educou você. Amplie seus horizontes, alargue seus limites, aprofunde seus saberes. Ontem, hoje, amanhã, e de geração em geração!
Inácio Dantas
Do livro Ebook “Ensinamentos de Pai para Filho”

www.amazon.com.br

sábado, 10 de janeiro de 2015

Lamentações: Pai, ouça as lamentações do seu filho.

             

Lamentações: Pai, ouça as lamentações do seu filho e socorra-o no que estiver ao seu alcance.

Lamentações de filho para pai, ou vice-versa, são as mais importantes de serem aquilatadas e oferecidas soluções. Lamentações alheias? Nem sempre há tempo para elas. Em geral, a resposta é errada quando a pergunta não é certa...

Viver de lamentações é viver reavivando mágoas, relembrando insucessos, sofrendo em dobro. Ninguém dá crédito ao lamentar alheio. Todos têm seus problemas e cada qual quer uma solução sobmedida, a baixo custo, rapidamente... Em verdade, o que há que se fazer é, etapas passadas, que não foram realizadas, jogá-las na lixeira do esquecimento. E recomeçar, porque viver é preciso!
Porquanto, apague as lamentações, se as tiver, não as deixe como exemplo para o seu filho. Ele não deve somatizar a carga de lamentos que há em si e levar esse estigma adiante. Queixas, lástimas, clamores devem estar excluídos da língua dos pais – e por conseguinte dos filhos.
É papel dos pais incentivar os filhos para trocar o lamento por ações de impacto, seja qual for a idade deles. Eles devem erguer-se, ´correr no estádio´, erguer os pesos dos enfrentamentos e mirar em frente, empreendendo esforço próprio para ganhar o novo ou  recuperar o perdido.

Lamentar o que se foi é como pregar no deserto: a voz não tem eco. É ainda como uma nuvem no céu: passou, seguiu seu destino e jamais retornará!
Inácio Dantas
do livro Ebook "Ensinamentos de Pai para Filho" - www.amazon.com.br

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Desânimo: o que fazer, pai e mãe, quando seu filho estiver nesse estágio?


Desânimo: o que fazer, pai e mãe, quando seu filho estiver nesse estágio?

O desânimo - cansaço, ausência de coragem, indisposição, de corpo e espírito -, é causa de queda de produtividade, fuga das rotinas diárias, esmorecimento e, enfim, um passo para descumprir atividades e compromissos. E como ser bem sucedido num estágio assim? De crianças a adultos, o bom ânimo é pílula estimulante poderosa que está dentro de nós mesmos, bastando apenas reavivá-la!

Deixarmos o desânimo abater-se sobre nós é postergar decisões importantes e perder o trem do progresso. O acometimento desse mal deixa o corpo indolente e a mente com pensamentos morosos, confusos. Prostrados num canto, músculos inertes, cabeça num emaranhado de ideias desconexas, vemos o tempo passar, os outros progredirem e estagnamos no ´nada´.  E se isso suceder com seu filho? O diagnóstico? Reavivar o ânimo!
Ao pressentir o véu do desânimo cair sobre seu filho, aja de imediato. Aproxime-se dele, abrace-o, seja seu ponto de apoio. Transmita-lhe força, confiança. Ouça o que o está amargurando, avalie e faça um diagnóstico. Com a sua vivência, ressalte que ‘você também já passou por isso e superou’. Enumere as opções, caminhos e como proceder. Dê conselhos, sugestões e ideias ‘para cima’ para que ele ‘fique à vontade’ e reconforte-se no seu ombro amigo.
Converse com doses de alegria, sorrindo, bem-humorado e reavive-lhe a pílula do ânimo para que se esvaeça o véu do desânimo. Muitas vezes é falta de diálogo, da presença física do pai, lado a lado, e do irradiar da sua boa energia. Com esse gesto, sem dúvida, logo seu filho estará de ânimo restabelecido e corpo e espírito novo de novo!


Inácio Dantas
Do livro ebook “Ensinamentos de Pai para Filho”
Adquira-o em amazon.com.br: goo.gl/JKgRzj



Tags: criança desanimada, filho desanimado, filho estressado, criança estressada

sábado, 13 de dezembro de 2014

Pai, mãe, filhos e o conflito das novas gerações


Conflito das "gerações"

O tempo voa... Nós, pais, avançamos na idade e ´nossa era´ fica uma página ´velha´ virada no livro do tempo... Nossos filhos ficam jovenzinhos e a ‘era deles’ evolui, página nova que esplandece e adquire vida própria...

O tempo, líquen precioso e irrecuperável da vida, escorre suavemente entre os dedos de nossas mãos, por mais que o apertemos e o seguremos firme... E assim pai, gerações vêm, gerações vão... O que fazer, senão nos amoldarmos a elas?
É só questão de tempo... Eles, nossos filhos, vão nos ultrapassar. Mas há algo que é intransponível: o bom diálogo. Então, se, de repente, o diálogo entre você e seu filho produzir frases do tipo ‘meu filho não me entende’ ou ainda, ‘meu pai não me entende’, é hora de você atualizar-se.
É inevitável, o tempo cria degraus entre pai e filho. Conselho: desça-os. Nivele-se no mesmo patamar. Entenda-o. Procure saber mais do universo que ele vive, enxergar as nuances do mundo pelos olhos dele... Fale a ‘linguagem’ que ele fala, capte os pensamentos que ele pensa, entenda as ideias que ele idealiza...  
Lembre-se, na sua juventude você também teve seus ídolos e viveu sua fase de ‘rebelde sem causa’ e até eventualmente conflitou com o seu pai. Use, então, essa experiência e falem como dois amigos, porque o silêncio é um péssimo inimigo. E mais. Ouça-o e assimile coisas boas que ele tem a dizer; fale e faça-o assimilar coisas boas que ele tem a ouvir. Por exemplo, projetos bem resolvidos, vivências positivas, momentos felizes. Aborde, também, os fracos e coisas negativas, fazendo-o ver que ninguém é feliz com o insucesso.
Conversem harmoniosamente e estejam, ‘ombro a ombro’, vivendo juntos a mesma geração: a geração do entendimento!

Inácio Dantas
do livro ebook "Ensinamentos de Pai para Filho"
adquira em: amazon.com.br goo.gl/JKgRzj


quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

Dez conselhos a você, pai.



Dez conselhos a você, pai.

1.Mesmo pequenas palavras de conselho de um pai, colocadas numa balança, têm mais peso que um dicionário.
2.Quando um pai quer bem ao filho ele lhe diz coisas, não para um momento, mas para toda uma vida!
3.Um pai jamais renega um filho. Fazê-lo é ao próprio corpo renegar a vida!
4.Um pai responsável, que quer pôr sua doutrina na cabeça de um filho irresponsável, é como tentar pôr líquido num vaso trincado: nada retém...
5.A riqueza de um pai é um filho educado, reto, bom caráter; a herança de um filho é a memória de um pai justo, probo, honrado.
6.Uma advertência ao filho, que o instrua, alimenta-o mais que um banquete.
7.O pai amoroso põe sua alma nas orientações; o bom filho escuta com os ouvidos e ouve com o coração.
8.Quando um pai enfrenta o mundo para defender um filho inocente, tem sua luta orquestrada pelas mãos de Deus.
9.Firme como uma coluna sobre um rochedo. Assim é o futuro de um filho construído por um pai sábio e zeloso.

10.Pai e filho que atravessam juntos o vale das dificuldades, indivisíveis estarão ao atingir o ápice do sucesso!

Inácio Dantas
do livro ebook "Ensinamentos de Pai para Filho"
Adquira em: goo.gl/JKgRzj